DESENVOLVIMENTO  
 

DISCUSSÃO DE PONTA

INSTRUMENTOS INICIAIS PARA GESTÃO SOCIALMENTE SUSTENTÁVEL
Colaboração da dra. Ana Carolina Gazoni*

 

As práticas de Responsabilidade Social tornam-se cada vez mais presentes no dia-a-dia da empresa. Uma gama de teorias foi criada tendo como base os direitos fundamentais, direitos humanos, a ética, e transparência, que constituem princípios norteadores de uma gestão moderna e adequada às necessidades do planeta e da sociedade. O artigo trata de instrumentos fundamentais para a consolidação dos conceitos que hoje são aplicados na empresa que procura rever, medir e reformular sua postura perante a sociedade e o meio ambiente (em sentido amplo).

Falarei sobre três instrumentos (que na linguagem jurídica poderiam ser equiparados a Princípios Norteadores), tendo em vista a magnitude e importância de cada um deles.

- Declaração Universal de Direitos Humanos, adotada pela ONU em 1948, é a primeira proclamação internacional dos direitos básicos dos indivíduos no que se refere a direitos políticos econômicos e sociais. Foi utilizada como base para elaboração de muitas constituições ao redor do mundo, sendo considerada uma referência fundamental para qualquer outra certificação ou iniciativa.Gostaria de citar seu preâmbulo, mas acredito ser demasiadamente extenso... Sugiro, então, a leitura da carta inteira.

- Agenda 21 é um documento de 40 capítulos que apresenta um programa de ação baseado em um processo de planejamento participativo de análise da situação atual de um país e planejamento do futuro de forma sustentável, sendo considerada a mais abrangente tentativa de promover um novo padrão de desenvolvimento do planeta. Foi criada a partir da contribuição de governos e instituições da sociedade civil de 179 países, num processo de longa duração (2 anos aproximadamente) e culminou no Rio de Janeiro, conhecida como Rio-92, que teve como foco a preocupação com o desenvolvimento sustentável. Contém quatro acordos: Declaração do Rio (versa sobre proteção ao meio ambiente), declaração de Princípios sobre o uso das Florestas (soberania dos países sobre seus recursos naturais), Convênio sobre Diversidade Biológica e Convenção sobre Mudanças Climáticas.

- Carta da Terra é um Código de Normas éticas e morais com orientações e metas práticas para que a humanidade avance no processo de criar um mundo que tenha como base a sustentabilidade. Aprovada pelas Nações Unidas em 2002, pode ser equiparada à declaração universal de direitos humanos no que se refere à equidade e justiça. Compõe-se de quatro grandes temas: a) Respeitar e Cuidar da comunidade da Vida; b) Integridade Ecológica; c) Justiça Social e Econômica; d) Democracia, Não-Violência e Paz.

Ora, os princípios acima compõem a essência da Vida no Planeta. Ações específicas neste sentido serão cada vez mais exigidas pela sociedade e pela Natureza. A entrada para este caminho é uma escolha. No nosso tema, a entrada é a responsabilidade social de verdade, intrínseca ao jeito de ser da organização.

 

* Dra. Ana Carolina Gazoni (carolgazoni@hotmail.com) é advogada formada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e consultora em Responsabilidade Social, com especialização pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo.

 

 
PARA CRÍTICAS OU SUGESTÕES.